E depois das flores?

Todas as orquídeas, tal como as outras plantas, têm os seus ciclos de vida que cumprem, nas nossas casas, assim como o fariam na natureza.

Todas as orquídeas, tal como as outras plantas, têm os seus ciclos de vida que cumprem, nas nossas casas, assim como o fariam na natureza. As épocas de crescimento vegetativo e radicular alternam com as épocas de floração e, em algumas orquídeas, com um período de repouso. As condições climáticas e a sucessão das estações do ano marcam o compasso para estas alterações.

Quando compramos uma orquídea florida, não quer dizer que aquela seja a época de floração natural da planta. Nos grandes produtores de orquídeas que vendem para o comércio de plantas, muitas vezes a floração é induzida para que todas as plantas de um lote floresçam ao mesmo tempo ou até para que floresçam numa altura em que podem ser mais facilmente comercializadas. Assim, se comprarmos, por exemplo, uma orquídea florida em Março, não quer dizer que no ano seguinte ela floresça no mesmo mês. No entanto, nos anos seguintes a planta vai florir mais ou menos dentro da mesma época, desde que também não seja induzida a florir com uma mudança artificial da temperatura, humidade ou luminosidade, factores que, como já tive oportunidade de explicar anteriormente, influenciam e induzem a planta a florir.

A duração das flores depende de espécie para espécie.  Existem espécies que as flores abertas duram poucos dias, outras que duram meses. Geralmente as que se encontram nos centros de jardinagem, como as Phalaenopsis, Cymbidium, Dendrobium ou Paphiopedillum, são as que duram mais tempo.

E depois da floração?

O final da floração marca geralmente o final de um ciclo. A planta floriu e vai, seguidamente, entrar numa fase de crescimento radicular e vegetativo ou numa fase de repouso, dependendo da espécie. É nessa altura que devemos ver se a nossa planta está preparada para iniciar um novo ciclo e se as condições que tem são as ideais para a ajudar a florir novamente na próxima estação de floração. As perguntas que nos devemos perguntar são as seguintes: A minha planta está forte e saudável? Tem alimento e condições favoráveis para o seu crescimento?

Após a floração devemos cortar a haste floral na sua totalidade. Não há necessidade da planta estar a gastar energia com uma haste que não volta a florir. (só as hastes das Phalaenopsis podem ser forçadas a florir conforme expliquei já num artigo anterior). Se a planta necessitar de ser reenvasada ou se pretendermos dividi-la ou limpa-la de folhas ou pseudobolbos secos, esta é também a melhor altura para o fazer. As primeiras regas após a mudança do vaso e/ou substracto devem ser feitas com um fortificante para orquídeas a fim de minimizar o stress a que sujeitamos as plantas no reenvasamento. Se a orquídea entrar num período de repouso, não se fertiliza, se iniciar o crescimento, devemos regar com fertilizante rico em Azoto para ajudar o fortalecimento dos novos rebentos, folhas e raízes e, meses depois, obtermos uma boa floração.

A maior parte das Orquídeas, salvo raras excepções, devem ser reenvasadas de dois em dois anos.

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado. Campos obrigatórios *