Cultivar no Exterior

Podemos cultivar muitos géneros de orquídeas no exterior em Portugal.

Muitos orquidófilos, com varandas, terraços ou jardins, trazem as suas orquídeas para o exterior para passarem umas férias ao ar livre. O local escolhido deverá ser sombreado, protegido de ventos fortes e os vasos bem posicionados de maneira a não caírem e a serem facilmente regados. As condições climatéricas no nosso país são excelentes para termos as nossas orquídeas no exterior pelo menos por 3 a 5 meses por ano. Teremos só que medir as temperaturas que não devem ir abaixo dos 14 – 16 graus durante a noite (generalizando porque depende muito das orquídeas que queremos cultivar) e durante o dia, se forem muito altas, temos que regar com muito mais frequência do que faríamos se as plantas estivessem em casa.

Agora, quando as temperaturas do verão já não são mais do que uma recordação distante, as suas orquídeas devem já estar de volta a casa, ou regressado às estufas protegidas ou aos jardins de inverno. Isto para aquelas orquídeas que não resistem a baixas temperaturas porque no nosso país podemos cultivar muitas orquídeas no exterior, durante todo o ano, desde que o local escolhido seja um local abrigado, protegido da chuva e do vento e onde as temperaturas mínimas não desçam abaixo dos 5 – 7 graus.

Os Cymbidium, as orquídeas mais cultivadas em Portugal devem a sua fama à sua beleza mas também à sua facilidade de cultivo e ao facto de poderem ser cultivadas no exterior. Para além destas podemos ainda ter no exterior alguns Paphiopedilum, algumas Cattleya, Epidendrum híbridos do tipo ‘Ballerina’, Dendrobium tipo Nobile e também Lycaste,  Stanhopea e muitos híbridos de Oncidium, Prosthechea, entre outros que se encontram facilmente à venda.

Mas não as coloquem no exterior e pronto. Há todo um trabalho que é necessário: Não tragam as orquídeas para o exterior em pleno Outono ou Inverno, deixem-nas ter uma habituação lenta à descida das temperaturas. Coloquem-nas no exterior na Primavera, quando as temperaturas já estiverem altas e assim têm todo o Verão e Outono para se adaptarem. As plantas fracas ou doentes têm menos resistência e as plantas jovens também. Uma planta adulta e forte é ideal para sobreviver sem dificuldades no exterior. Há dois anos, quando caiu uma grande quantidade de granizo na zona de Benfica, muitos dos meus Cymbidium e uma Stanhopea ficaram totalmente cobertos de gelo. Como eram plantas adultas e fortes não perdi nenhuma. Sofreram queimaduras mas recuperaram bem e cresceram ainda com mais vigor do que estavam anteriormente. No Verão seguinte a Stanhopea tigrina nigroviolacea deu umas soberbas 23 flores. As orquídeas têm um grande poder de recuperação, desde que estejam saudáveis.

É necessário referir também que, em pleno Inverno, nas semanas mais frias, pouco ou nada se faz às orquídeas que estão no exterior. Não se fazem reenvasamentos, as regas são reduzidas ou suspensas, assim como as fertilizações. Se as plantas apanharem chuva devem estar plantadas em substratos grossos, com uma boa drenagem e mesmo assim aconselho a colocarem as plantas protegidas por um telheiro, debaixo de uma árvore ou com uma rede de sombra que também reduz a intensidade da chuva. Nenhuma regra é rígida e há muitas plantas que se adaptam ao nosso clima, no exterior, durante todo o ano. O sucesso será maior se pesquisarem sobre as necessidades de cada género de orquídea e de cada espécie em particular.

Comentários
  1. Me ajudou de mais

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado. Campos obrigatórios *