Ophrys dyris

Uma raridade em Portugal

Planta de pequeno porte, entre os 10 e os 25cm, composta por uma roseta basal de folhas ovaladas lanceoladas, de tom verde acinzentado, com o caule encimado por uma inflorescência em espiga, composta por três a oito flores. Cada flor apresenta um labelo marcadamente trilobado, fortemente convexo, disposto na horizontal, quase sempre sem sulco na sua cavidade estigmática, por vezes levemente sulcado, de cor castanha ou castanha-acinzentada, coberto por densa pilosidade. A parte central deste apresenta um largo e bem definido ω, branco ou branco-acinzentado. As restantes pétalas são levemente onduladas e verdes-acastanhadas. As sépalas apresentam sempre uma cor verde-amarelada.

Rara em Portugal, por vezes difícil de encontrar, encontra-se geralmente em solos calcários, em espaços abertos ou com pouca vegetação. Pode ser vista, com mais facilidade, na Serra de Aire e Candeeiros,  na Serra da Arrábida e Algarve. No Algarve existe a Ophrys algarvensis, com caraterísticas semelhantes à O. dyris, normalmente com menos flores por haste.

A época de floração decorre durante os meses de Março e Abril, podendo haver sempre uma ligeira variação de acordo com as condições meteorológicas de cada ano. Para ser observada requer bastante atenção, pois pode confundir-se, com alguma facilidade, com outras espécies, sobretudo do grupo Ophrys fusca.

Fotos obtidas no concelho de Sesimbra

Texto e fotos da autoria de Américo Pereira

Bibliografia: Monteiro, José Alfredo Brites (2008) – Orquídeas Silvestres Beira Litoral  – Coimbra

 

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado. Campos obrigatórios *