Exposição de Camélias e Orquídeas

O Clube dos Orquidófilos de Portugal junta-se novamente aos Parques de Sintra nesta colorida festa das Camélias e Orquídeas!

O terreiro do Palácio Nacional de Sintra acolhe, no fim de semana de 9 e 10 de fevereiro, a “Exposição de Camélias e Orquídeas”, organizada pela Parques de Sintra, em colaboração com a Associação Portuguesa de Camélias (APC) e o Clube dos Orquidófilos de Portugal (COP). Antecipando a chegada da primavera, esta colorida mostra anual, de entrada gratuita, visa promover o valor botânico associado às camélias e orquídeas em Sintra e conta com um vasto programa de atividades, como visitas guiadas, workshops, espetáculos e demonstrações.

Este ano, o evento é dedicado ao Japão, país com fortes ligações culturais a Portugal, desde há vários séculos, que se refletem, nomeadamente, no gosto pelas várias espécies de camélias e orquídeas oriundas do continente asiático que são cultivadas nas quintas, jardins e casas portuguesas desde o séc. XIX.

Programa:

Sábado, 9 de fevereiro
10h00 – 18h00 – Exposição e venda de camélias e orquídeas | Terreiro – tenda (entrada livre)
11h00 / 15h30 – Demonstrações de propagação, envasamento e manutenção de orquídeas | Terreiro – tenda (gratuito, limitado à capacidade do espaço)
11h15 / 15h45 – Workshop de bonsai (duração 1h00) | Área de estar (gratuito, mediante inscrição prévia. Máx. 10 pessoas por grupo)
Bonsai designa a arte da criação de árvores em miniatura. Este workshop destina-se a quem quer ser independente na manutenção e poda do seu bonsai.
Com o apoio de Museu do Bonsai de Sintra

12h00 / 16h00 – Demonstrações de técnicas de propagação e poda de camélias | Terreiro – tenda (gratuito, limitado à capacidade do espaço)
13h00 / 16h30 – Demonstrações de técnicas de origami | Terreiro – tenda (gratuito, limitado à capacidade do espaço)
O origami é a arte tradicional japonesa de dobrar o papel, sem o cortar ou colar, criando figuras. Nestas demonstrações, a cargo de Helena Cerveira, será possível descobrir esta arte milenar.

14h30 – Abertura oficial da exposição e entrega de prémios | Terreiro – tenda (entrada livre)
• Melhor espécie de camélia em exposição
• Melhor cultivar portuguesa de camélia em exposição
• Melhor espécie de orquídea em exposição
• Melhor híbrido de orquídea em exposição
• Melhor expositor de venda de camélias e orquídeas
• Melhor mesa em exposição

14h30 – Visita guiada “Camélias de Excelência” no Parque da Pena | Ponto de Encontro: Entrada Portão dos Lagos do Parque da Pena (gratuito, mediante inscrição prévia. Máx. 20 pessoas)
O Jardim das Camélias, situado no Parque da Pena, foi distinguido em 2014 como “Jardim de Camélias de Excelência” pela Sociedade Internacional de Camélias, distinção sem precedente em Portugal. Ao longo desta visita, é lançado o convite para conhecer as mais de 300 cultivares de camélias deste jardim, bem como a sua história, biologia e impacto sociocultural em Portugal e no mundo.

15h00 – Exibição de artes marciais japonesas | Terreiro do Palácio Nacional de Sintra (entrada livre)
Apresentação de Katas – coreografias marciais – de Iaido (esgrima japonesa com sabre real) e de Karate-do (kata Meikyo “o espelho interior”). Ao longo da exibição, o simbolismo destes Katas vai sendo explicado pelo mestre José Patrão.
Autoria e interpretação: Associação Shotokai de Portugal e Iaido Clube de Portugal

 

Domingo, 10 de fevereiro
10h00 – 18h00 – Exposição e venda de camélias e orquídeas | Terreiro – tenda (entrada livre)
11h00 – Visita guiada ao Palácio Nacional de Sintra: Relação Portugal-Ásia | Ponto de Encontro: Entrada do Palácio Nacional de Sintra (gratuito, mediante inscrição prévia. Máx. 20 pessoas)
Sintra foi classificada pela UNESCO, em 1995, como Paisagem Cultural da Humanidade, mas a proteção do património começou antes. O Palácio Nacional de Sintra, junto ao cabo mais ocidental da Europa continental, está associado a importantes momentos históricos em que os portugueses se projetaram em relação ao ‘outro’, incorporando na sua cultura ‘vocábulos’ de aquém e além-mar, que permitiram a construção de novas estéticas e meios de compreender o mundo. Estranho, ou não, foi pelo extremo Ocidente que o exótico entrou e ganhou raízes.
Nesta visita guiada ao Palácio Nacional de Sintra, será explorada a relação do monumento e da sua História com a Ásia.

11h00 / 15h30 – Demonstrações de propagação, envasamento e manutenção de orquídeas | Terreiro – tenda (gratuito, limitado à capacidade do espaço)
12h00 / 16h00 – Demonstrações de técnicas de propagação e poda de camélias | Terreiro – tenda (gratuito, limitado à capacidade do espaço)
13h00 / 16h30 – Demonstrações de técnicas de origami | Terreiro – tenda (gratuito, limitado à capacidade do espaço)
O origami é a arte tradicional japonesa de dobrar o papel, sem o cortar ou colar, criando figuras. Nestas demonstrações, a cargo de Helena Cerveira, será possível descobrir esta arte milenar.

15h00 – Teatro de sombras “O Rapazinho do Carvão” (p/ maiores de 6 anos, duração 30 min.) | Área de estar (gratuito, limitado à capacidade do espaço)
Esta história tradicional, apresentada por Beniko Tanaka através de um teatro de sombras, conta como um rapazinho misterioso ajudou o ferreiro a resolver este problema antigo: os agricultores de uma certa aldeia no Japão queixavam-se ao velho ferreiro de que as suas enxadas se quebravam facilmente ao arar a terra, devido à extrema dureza desta.
Acompanharemos o difícil e lento labor do ferreiro ao longo de todo o processo artesanal, desde a extração do metal da terra, da escolha das árvores, do cozer do carvão, da alquimia da forja e do fole, e do artefacto final, a ferramenta que permitirá amaciar a terra dura, e trazer à aldeia uma boa colheita. Este é um teatro de sombras que passeia pelos antigos bosques, aldeias e sabedoria ancestral.
Autoria e interpretação: Beniko Tanaka

Informações importantes:

– Todas as inscrições devem ser feitas até dia 7 de fevereiro, para o email info@parquesdesintra.pt. A inscrição é finalizada após receção de email com a confirmação.
– As atividades no exterior poderão ser canceladas, caso as condições meteorológicas sejam adversas.

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado. Campos obrigatórios *