Neofinetia falcata, a orquídea-vento japonesa ou a orquídea dos Samurai.

São pequenas orquídeas que se tornaram num sucesso parecido com os bonsais. A origem é a mesma – o Japão – e são cultivadas pelas flores, pela folhagem e pela apresentação geral da planta. O segredo do sucesso, diz-se por terras nipónicas, é manter o interesse pela planta diariamente e não só quando está em flor.

A sua história remonta ao período Edo (início do séc. XVII) quando começou a ser cultivada no Japão (muitos defendem que terá sido esta a primeira orquídea a ser cultivada como planta de interior). É também chamada de “Orquídea Samurai” porque o Shogun Tokugawa Ienaria se apaixonou por esta planta que, diz-se, era procurada pelos Samurais nas montanhas.

É encontrada a crescer em encostas montanhosas, em rochas, mas principalmente em pequenos ramos de árvores de folha caduca do nordeste asiático, China, Coreia e do Japão. No entanto é no Japão, onde cresce junto a Nagasaki, na ilha de Kyushu e em diversas outras ilhas japonesas, que ganhou uma grande fama de cultivo. Houve tempos em que uma planta mais rara desta espécie podia custar o mesmo que uma casa com um bom jardim. Felizmente que nos dias de hoje, com germinação in vitro e processos avançados de clonagem vegetal, o preço destas plantas já é acessível a qualquer colecionador. No entanto ainda hoje é chamada de Fuki-ran, a orquídea dos nobres e ricos ou ainda Fu-ran, a orquídea-vento.

A Planta

A Neofinetia falcata é uma orquídea miniatura que pode crescer até aos 15 cm, mas cujo tamanho médio ronda os 7 ou 8 cm. É uma planta monopodial, constituída por uma haste central onde crescem as pequenas folhas curtas e finas, cerosas, com uma dobra longitudinal ao meio. Assemelha-se a uma pequena Vanda, género onde foi recentemente inserida já sendo encontrada, em textos mais recentes, como Vanda falcata. A planta pode ramificar-se com novos rebentos a aparecerem junto às folhas mais perto da base. Nas axilas das folhas superiores rebentam as hastes florais que crescem até 7 ou 8 cm e que podem dar entre 3 e 15 flores. As flores medem cerca de 3 cm e são normalmente brancas. Têm a particularidade de terem um pequeno esporão ou nectário curvado para trás. As flores são muito perfumadas, com um aroma que lembra o jasmim, duram entre 1 e 2 meses.

O cultivo

Resistem bem a temperaturas baixas. Podem facilmente ser cultivadas num parapeito de janela ou numa estufa fria. Gostam de boa luz mas nunca sol direto. As temperaturas ideais variam entre o 8-10 graus de mínimas no Inverno e perto dos 30 graus no Verão.

Os japoneses têm toda uma técnica de cultivo, utilizando lindos vasos de porcelana e enrolando as raízes numa bola de musgo de esfagno, mas podem ser cultivadas em qualquer pequeno vaso com substrato muito poroso (casca de pinheiro fina, perlite, musgo de esfagno) e também montadas em cortiça ou ramos de árvore, desde que as raízes não sequem totalmente na época de crescimento, entre a Primavera e o Outono. No Inverno reduzem-se muito as regas a uns simples borrifos e suspende-se a fertilização. A melhor água para regar estas orquídeas é a água da chuva ou destilada onde devemos colocar uma dose muito fraca de fertilizante próprio para orquídeas.

Normalmente muda-se o substrato anualmente, no final do inverno, antes da planta iniciar o seu período de crescimento. A floração aparece principalmente na Primavera, mas pode acontecer até ao início do Outono.

São orquídeas muito interessantes para cultivar e em Portugal podem encontrar-se à venda em vendedores especializados ou em exposições de orquídeas. Apesar de a Neofinetia falcata ter sempre as flores brancas, já existem muitos híbridos cujas flores têm tonalidades de rosa, amarelo, até ao púrpura.

Deixe uma resposta

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart

Nenhum produto no carrinho.